Sindicatos de Cabo Frio se reúnem com prefeito para negociar reajuste dos servidores

Definição ficou para o próximo dia 17 e, até lá, não deve haver greve

Diretores de sindicatos que representam todas as categorias do funcionalismo municipal de Cabo Frio, exceto Educação, estiveram nesta quinta-feira (9), na sede da Prefeitura de Cabo Frio para negociar o reajuste salarial com o prefeito Adriano Moreno (Rede).

Ficou definido que haverá uma nova reunião no dia 17 para deliberar sobre o tema. Os servidores fizeram uma assembléia e decidiram esperar a próxima reunião, sem a realização de greve até lá.

Durante audiência, o prefeito declarou que as receitas são para o desenvolvimento da cidade e melhoria no funcionalismo do município.

“Hoje nós estamos infelizmente tendo que escalonar o pagamento, mas em um futuro bem próximo, já não precisa mais ocorrer esse tipo de problema. A gente poderá pagar o funcionalismo no dia correto, como manda a lei”, explicou o prefeito.

O aumento da folha de pagamento, que já estava em aproximadamente R$35 milhões de reais, segundo a Secretaria de Fazenda, foi outra questão levantada durante a audiência para questionar se seria possível acertar as datas de salário dos servidores públicos.

“Na realidade, a folha de pagamento gira em torno de R$26 milhões só que a gente tem as autarquias, o Ibascaf, os repasses para a Câmara Municipal, totalizando tudo isso aí. Não temos despesa só com nosso funcionalismo. Nós enxugamos a folha, mas não chegamos a um patamar que dê tranquilidade financeira para a prefeitura. Em nosso primeiro cálculo, a a gente achou que ía conseguir equilibrar, e saímos de 68% para 56,86% na lei de responsabilidade fiscal, mas nós temos que chegar a 51% para poder estar dentro da legalidade.” explicou Adriano.

Desde o ano de 2015 os funcionários públicos não possuem reajuste salarial, e o índice desse reajuste é calculado em torno de 21,64% até 2018. A proposta do governo era pagar 5% referente ao período de atuação do prefeito Adriano, além de descongelar o triênio e regulamentar o piso salarial. A proposta foi recusada.