Início Destaque Candidaturas do PL em São Pedro da Aldeia são investigadas por suspeita...

Candidaturas do PL em São Pedro da Aldeia são investigadas por suspeita de fraude

Investigação aponta candidaturas "laranjas" e "fantasmas" de mulheres apenas para cumprimento de cota legal

-

Uma ação de investigação eleitoral (Aije), foi aberta pelo Ministério Público Eleitoral (MPE), para apurar possível fraude na existência de candidaturas “laranjas” e “fantasmas” de mulheres, em São Pedro da Aldeia, pelo Partido Liberal (PL).

Pelo menos 15 candidatos a vereador estão sendo investigados. A ação foi ajuizada pela promotora eleitoral, Paula Marques da Silva Oliveira. De acordo com a apuração, no dia 25/09/2020, o Partido Liberal apresentou o Demonstrativo de Regularidade dos Atos Partidários (DRAP), requerendo o registro dos candidatos escolhidos para concorrerem ao cargo de vereador do município. Cientes da norma contida no artigo 10, a qual determina que cada partido ou coligação deve preencher o mínimo de 30% e o máximo de 70% para candidaturas de cada sexo, o diretório do Democratas apresentou os nomes de 15 candidatos, sendo 5 mulheres e 10 homens, atendendo assim, à referida exigência legal, razão pela qual o requerimento de registro foi deferido pela Justiça Eleitoral.

Porém, três candidatas receberam somente dois, quatro e quatro votos, respectivamente. O Procedimento Preparatório Eleitoral nº 16/20, apurou ainda, que duas candidatas não receberam nenhum tipo de doação de campanha e nem tampouco realizaram despesas.

As candidatas foram notificadas para comparecerem a Promotoria Eleitoral para prestar esclarecimentos sobre os fatos, duas candidatas não compareceram e nem apresentaram qualquer justificativa para a ausência. Uma das candidatas, a Promotoria teria recebido uma denúncia anônima através do TRE, antes das eleições, informando que sua candidatura seria falsa, o que deu início a instauração para apuração dos fatos e, em consulta a sua rede social facebook, no início do mês de novembro de 2020, de fato não havia qualquer publicação/propaganda a respeito de sua candidatura a vereadora.

Segundo o MPE, ao prestar esclarecimentos, a candidata, inicialmente, ao ser indagada a qual Partido Político estaria filiada, informou ser o partido do “candidato a prefeito” e somente disse o nome do partido após ter consultado uma anotação que estava em sua bolsa. Além disso, embora tenha informado que realizou campanha nas redes sociais (facebook e instagram), disse que já teria apagado todas as publicações logo após o resultado das eleições e que não fez qualquer campanha de rua em razão da Pandemia. O MPE ainda questionou o fato da candidata possuir alguns familiares residentes e eleitores de São Pedro da Aldeia (companheiro, genitora, irmã e avó) e, ainda, assim, recebeu apenas 2 votos nas eleições.

As provas evidenciam que as representadas, ao requererem o registro de suas candidaturas, não tinham a intenção de engajarem-se na campanha eleitoral, o fazendo apenas para cumprir a cota de gênero, a fim que o Partido não tivesse o registro indeferido. As candidatas, bem como dos dirigentes partidários que subscreveram o registro de suas candidaturas, constitui verdadeira fraude praticada com o fim de burlar a lei e a Justiça eleitoral, considerando que, na verdade, o partido não cumpriu os requisitos legais para o deferimento do seu registro, em especial, o da cota de gênero. Caso sejam condenados candidatos ficarão inelegíveis pelos próximos oito anos.

O PL de São Pedro da Aldeia ainda não se manifestou sobre a denúncia.

- Advertisment -

Mais lidas

pendik escort kartal escort çekmeköy escort mersin escort türkçe altyazılı porno lezbiyen porno sex hikaye mersin escort bodrum escort