Início Cabo Frio Cerimônia revela os vencedores do 3º Prêmio Prolagos de Jornalismo Ambiental

Cerimônia revela os vencedores do 3º Prêmio Prolagos de Jornalismo Ambiental

Noite de festa reúne profissionais da imprensa da Região dos Lagos

-

O auditório da Universidade Veiga de Almeida, campus Cabo Frio, foi palco da entrega do 3º Prêmio Prolagos de Jornalismo Ambiental, noite desta quinta-feira (09), que reuniu jornalistas da região. A edição 2021 do concurso que estimula a produção de conteúdo sobre saneamento básico contou com 42 inscrições, 32 profissionais da imprensa e estudantes universitários, 15 veículos de comunicação e 6 categorias premiadas. Além de troféu, confeccionado pelo artista plástico Ivan Cruz, os vencedores receberam prêmio em dinheiro: R$ 4.500,00 e R$ 2.500,00, para os dois primeiros colocados das categorias profissionais, e R$ 1.000,00 para o primeiro lugar categoria Jornalismo Universitário.

Um dos destaques do Prêmio foi a Lagoa de Araruama. Com 85% das praias com águas próprias para o banho, segundo o último relatório de balneabilidade do INEA (Instituto Estadual do Ambiente), a laguna foi pautada em 12 trabalhos que mostram como os investimentos em saneamento básico nas cidades do seu entorno refletem na evolução da qualidade ambiental desse ecossistema.

“Promover e incentivar a imprensa local, é valorizar a democracia. É termos certeza de que os nossos usuários vão receber a informação correta, porque a imprensa está apurando, ouvindo todos os lados envolvidos, sempre acompanhando as ações da concessionária com ética e zelo pela boa apuração”, pontou Pedro Freitas, diretor-presidente da Prolagos.

Os trabalhos foram avaliados por um corpo de jurados formado por especialistas em Comunicação de Saneamento: Maristela Yule, gerente de Comunicação da Águas do Rio, Rosiney Bigatão, editora da Revista Aegea e Thamires Figueiredo, gerente regional de Comunicação das concessionárias Aegea do Norte e Nordeste. Em Fotojornalismo, as belezas naturais da Região dos Lagos ganharam as lentes dos fotógrafos, colocando no foco o resultado de cidades onde o saneamento é bem tratado, como a foto de Mariana Ricci, que ficou com o primeiro lugar.

A maior laguna hipersalina em estado permanente do mundo foi tema da reportagem vencedora na categoria Telejornalismo. A repórter Suellen Rodrigues conquistou a primeira colocação com a matéria “Lagoa de Araruama renasce e volta a ser referência em turismo e economia”, exibida no jornal Record RJ.

“Foi um grande prazer vencer pela segunda vez consecutiva, principalmente, falando sobre um tema tão relevante quanto a laguna. Além dos aspectos ambientais e econômicos, também tenho um laço afetivo com a lagoa, onde eu frequentava as praias durante a infância. Durante um período as águas ficaram impróprias para o banho e hoje poder informar o retorno da sua qualidade ambiental é uma grande alegria”, disse Suellen.

No Jornalismo Impresso, a Lagoa de Juturnaíba, patrimônio natural essencial para o abastecimento dos moradores da região, ganhou as páginas do jornal A Tribuna, premiando o jornalista Tomás Baggio como vencedor da categoria com a matéria “Juturnaíba garante abastecimento de água para a Região dos Lagos”.

“A Lagoa de Juturnaíba é um manancial tão importante para a região e tão pouco falado. Mesmo em tempos de crise hídrica em diversos estados do Brasil, ela continua com a sua abundância de água, sem causar nenhum impacto no abastecimento local”, ressaltou Tomás.

O radialista Jota Júnior, da Rádio Ebenézer, conquistou a primeira colocação na categoria Radiojornalismo com a série “Captação e tratamento de esgoto x abastecimento de água e seus reflexos no desenvolvimento econômico, social, urbano, ambiental e na saúde pública”.

“Agradeço a Prolagos pela iniciativa de fazer esse prêmio. É a única companhia da região que premia e reconhece o trabalho dos jornalistas. Me empenhei e tive muito cuidado com a apuração para fazer um trabalho com muita ética e verdade”, disse Jota Junior ao receber o prêmio.

Na categoria Webjornalismo, a jornalista Letycia Rocha se destacou com a reportagem “Ameaçados de extinção, cavalos-marinhos surgem na Lagoa de Araruama”, publicada no portal RC24H.

“O surgimento dos cavalos-marinhos na Lagoa de Araruama foi um assunto que chamou muito a minha atenção quando recebemos a sugestão de pauta de um internauta na redação. São animais extremamente sensíveis que só sobrevivem em ambientes despoluídos. Era o retrato perfeito para mostrar o real valor da despoluição da laguna e como a preservação do meio ambiente é importante. Ganhar o prêmio foi uma grande surpresa e levo como o reconhecimento de um trabalho sério, principalmente em um momento delicado pelo qual nós, jornalistas, temos sido tão desvalorizados atualmente”, explicou.

Neste ano, com as aulas online, 22 alunos dos campi Cabo Frio e Tijuca participaram do evento. As matérias foram publicadas na Agência Experimental da Veiga e nos portais RC24h e Prensa de Babel. Com a reportagem “Manutenção preventiva como solução econômica para o saneamento básico, os vencedores da categoria Jornalismo Universitário foram: Daniel Deroza, Guilherme Spinelli e Thaís Ximenes.

Rate this post
- Advertisment -

Colunas

Mais lidas

Rate this post
%d blogueiros gostam disto: