Cientista político afirma que novas eleições em Cabo Frio é exemplo de falha na Justiça brasileira

Novo pleito acontece no dia 24 de junho. Seis candidatos concorrem ao Executivo, entre eles, o ex-prefeito Marquinho Mendes

0
86
Cidade vai ter novas eleições em junho
Cidade vai ter novas eleições em junho. Foto: Reprodução/ Internet

Desde que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em 24 de abril, indeferiu o registro de candidatura do ex-prefeito Marquinho Mendes nas eleições de 2016 por causa de sua condenação de oito anos de inelegibilidade, com base na Lei da Ficha Limpa, Cabo Frio vem passando por momentos atípicos no cenário político. Em entrevista ao Portal Fonte Certa, o cientista político Guilherme Carvalhido afirma que a eleição mostra falhas na jurisdição brasileira e que o eleitor deve estar atendo para a escolha do voto.

As novas eleições estão marcadas para o dia 24 de junho. Concorrem ao cargo Rafael Peçanha (PDT); Adriano Moreno (Rede); Marquinho Mendes (MDB); Leandro Cunha (PSOL); Cristiane Fernandes (PSDB); e Carlos Augusto Felipe (PHS). Nesta quinta-feira (24), em entrevista coletiva, o advogado do candidato Marquinho, Dr. Carlos Magno, reiterou que seu cliente será candidato na eleição.

“É um dos problemas [a possibilidade de candidatura] que há na jurisdição brasileira. Ele foi julgado, mas não efetivamente, então a população de Cabo Frio deve prestar bastante atenção na escolha eleitoral. Mas não é só prestar atenção no Marquinho, os cidadãos têm de investigar e ver quem realmente são essas pessoas”, afirma o cientista político, Guilherme Carvalhido.

Carvalhido também comenta sobre a crise financeira que a cidade atravessa nos últimos anos e afirma que a Prefeitura deve buscar novos meios para poder se manter em tempos de crise e fugir da dependência dos royalties do petróleo, de onde vem uma grande parte dos ganhos do município.

“Cabo Frio é uma cidade média com potencial de crescimento em várias áreas. Não somente o turismo, a cidade tem potencial para explorar outras áreas. Uma Casa Legislativa deve, obrigatoriamente, trazer novas composições econômicas para a cidade. Com isso, a tendência é construir novas atividades e não depender de um modelo muito flexível que são os royalties do petróleo, que estão em alta, mas quando cai, geralmente, não se tem outra estrutura”, disse.

Enquanto isso, a corrida eleitoral segue na cidade com os seis candidatos cumprindo agendas das respectivas campanhas. A Justiça Eleitoral tem até o próximo domingo (27) para deferir ou não os candidatos. A prefeitura é comandada pelo, até então presidente da Câmara Municipal, Aquiles Barreto, até o fim das eleições.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here