fbpx

Direto da Fonte | A política da Região dos Lagos nesta quarta-feira (10/05)

Iguaba tem representante na Alerj; Bia de Guga e Iédio Rosa; o tecelão André Ceciliano; e o bolsonarista aldeense no meio dos políticos progressistas

Iguaba tem representante na Alerj

O deputado Fred Pacheco ‘carregou’ o secretário de desenvolvimento econômico de Iguaba, Marcello Costa, para a Alerj, para ser uma espécie de ponte com a Região dos Lagos. Muito amigo do governador Claudio Castro, o deputado pode ser um trunfo pra Iguaba: a proximidade de Marcello e Fred e a de Fred com o governador, facilita as coisas, né? Golaço pra Iguaba.


Fabio Costa está com tudo e não tá prosa

O homem não para. Depois de acumular as secretarias de Segurança Pública e chefia de Gabinete, Fabio Costa agora tem contribuído em mais uma secretaria, a de Serviços Públicos. O super secretário é bom de trabalho e Vantoil não dá mole, se tem um lugar precisando de suporte, o escalado é Fabinho’. Fabinho tem sido uma espécie de “curinga” da gestão Vantoil Martins e, por isso, merece todo o destaque. Sucesso aos dois, essa dobradinha ainda vai dar muito o que falar.


Bia de Guga se encontra com Iédio

Bia de Guga tem aumentado sua composição política para as eleições de 2024. Hoje, a pré-candidata ao executivo aldeense se reuniu com Iédio Rosa, ex-deputado, ex-prefeito, e político muito experiente de São Pedro e parece que a parceria foi firmada. A Praça do Canhão tem pauta nova!

Aliás, o povo vai gostar dessa também: Iédio foi indicado nada menos que pelo líder do governo, Jean Pierre, para ser agraciado com a Medalha de Méritos Legislativos, durante a Sessão Solene em comemoração aos 406 anos de São Pedro. Essa homenagem é a chancela aos feitos do político que acaba de fechar apoio à Bia, opositora de Fabio. Conclusão: ficou bom pra Bia, deu ruim pra Fabio.


Aliás, tem mais!

Parece que a Praça do Canhão tem fiscalizado mais os feitos do governo do que vereadores da base de Fabio do Pastel. Ali, naquele espaço democrático, os cidadãos discutem sobre o que importa a cidade, enquanto na Câmara a coisa não anda muito boa não. Para se ter ideia, na pauta da sessão de amanhã estão previstos 22 projetos para votação. Destes, 20 são de indicação de troca de lâmpada, rua pra ser asfaltada, etc. Vereador pedir ‘favor’ a prefeitura até que é normal, o que é anormal é não fiscalizar, cobrar, fazer projetos de Lei que beneficiem de fato à população como um todo.

Vereador é eleito para representar a Casa do Povo. Será que hoje os maiores problemas de São Pedro se referem a troca de lâmpadas e asfalto de ruas que fazem parte só do reduto eleitoral do vereador? Não que não sejam importantes, mas só isso, vereadores? A sessão de amanhã parece muito menos importante do que deveria ser. Sei lá, diz aí povo da Praça do Canhão: o que acham de dos 22 projetos para serem votados, 20 serem de troca de lâmpada e ruas para serem asfaltadas?


Fatos políticos do fim de semana: política fluminense em novos rumos?

A reunião do ex-presidente da Alerj com prefeitos fluminenses mostra que o futuro político do estado ainda vai mudar muito – e quem sabe, de mãos. Com o PT no poder muita coisa pode acontecer e a colcha de retalhos para 2024 já começa a ser tecida. É provável que no Rio, por exemplo, o PT apoie a candidatura de Eduardo Paes à reeleição. E quanto ao governo do estado, que só tem novas eleições em 2026, muita água vai rolar e também vai depender da aproximação (ou não) de Castro com governo PT – leia-se André Ceciliano.

Articular é com ele mesmo! André Ceciliano, assessor especial do governo Lula e braço direito do ministro Padilha, reuniu diversos prefeitos do estado no último fim de semana em Mendes para alinhar políticas públicas. O trabalho dele em Brasília é feito com políticos de todo território nacional, mas o ex-presidente da Alerj, claro, vai ter um olhar especial para o seu estado de origem e onde mantem importantes ligações políticas. É trabalho de tecelão o de Ceciliano, ainda mais em um cenário político onde o presidente Lula não foi o favorito: Bolsonaro levou a melhor em quase todos as cidades do estado do Rio. E com essa habilidade de dialogar e arregimentar apoios, Ceciliano pode surpreender.


Bolsonarismo na berlinda?

Fato é que o bolsonarismo perdeu espaço e políticos que eram alinhados com o ex-presidente, que talvez até tenham se elegido por levantar bandeiras bolsonaristas, agora começam a perder espaço e se movimentar para o lado do PT.

Um exemplo disso, é a presença de Fabio do Pastel na reunião de André Ceciliano, assessor especial do governo Lula e braço direito do ministro Padilha. O bolsonarista obviamente perdeu espaço depois das eleições passadas e tenta se aproximar do governo Lula – ele foi um dos presentes na reunião do fim de semana que Ceciliano organizou. Será que ele vai se afastar dos seus eleitores que o elegeram por ser bolsonarista? Aguardemos as cenas dos próximos capítulos.

Facebook
Telegram
Twitter
WhatsApp