Direto da Fonte | A política da Região dos Lagos nesta segunda-feira (09/01)

Da Região dos Lagos para fazer vergonha em Brasília; Acampamento desmontado em São Pedro; Ato a favor da democracia; e as reformas milionárias de São Pedro da Aldeia

Capitólio à moda brasileira

Os atos golpistas ocorridos em Brasília são uma já esperada reprodução de cenas vividas no Capitólio dos EUA, mas jamais na história do país se registrou tanto vandalismo com o patrimônio público. Obras de arte destruídas, peças e armas roubadas, quebradeira, jornalistas agredidos, equipamentos roubados e danificados, cenas que o mundo todo parou para assistir e que ficarão marcadas na História do Brasil como páginas que envergonham a nossa democracia. E com diversas pessoas da Região dos Lagos participando.


Da Região dos Lagos para fazer vergonha em Brasília

Diversos apoiadores radicais do ex-presidente Jair Bolsonaro saíram da Região dos Lagos para participar dos atos de vandalismo e invasão em Brasília. Nas redes sociais, vídeos mostram moradores de São Pedro, Cabo Frio, Armação dos Búzios, Iguaba e Rio das Ostras, em direção à capital para participar do vandalismo assistido ontem. Como nesta segunda-feira cerca de 1.500 pessoas foram detidas em Brasília, é possível que alguns da região estejam entre os detidos. Quem financiou o terrorismo? Tem político da região envolvido nisso? São perguntas que ficam diante do absurdo e, esperamos, sejam respondidas para que toda a sociedade saiba.


Acampamento desmontado em São Pedro

Assim como em todo o país, o acampamento de bolsonaristas em São Pedro da Aldeia enfim foi desmontado na manhã desta segunda-feira (09). Era a única cidade da região que contava com o chamado “QG” dos golpistas.

Os manifestantes ficaram acampados no local por 71 dias, com bandeiras e carros de som. Até uma réplica de um tanque de guerra foi montada no local. O acampamento ficava em frente à Vila Residencial da Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia.


José Bonifácio quer saber quem financiou atos golpistas em Brasília

O prefeito de Cabo Frio, José Bonifácio, se mostrou indignado com os atos golpistas de Brasília. Político democrata, respeitado por toda classe política pela experiência e pela defesa da democracia, ele disse que espera que todos sejam punidos, inclusive, quer que os financiadores destes atos e do acampamento de São Pedro sejam identificados e punidos com o rigor da lei. O atendado à democracia, segundo ele, precisa ser combatido em todas as esferas, de forma enérgica, para que não se repitam.

“As prisões são muito necessárias, mas precisa haver uma investigação séria e rígida para encontrar quem financiou esses atos. Não pode haver impunidade, as instituições têm que ser firmes nesse momento para mostrar a força da democracia”.


Castro e Paes se reúnem

“Manifestações pacíficas fazem parte da democracia, vandalismo não”, declarou o governador do Rio, Cláudio Castro, que reuniu o secretariado para discutir medidas contra atos golpistas. Ele também se reuniu com o prefeito do Rio, Eduardo Paes, que, por sua vez, prometeu medidas firmes na cidade contra os atos antidemocráticos.


Alerj também se opõe a atos

O presidente da Alerj, André Ceciliano, se reuniu nesta manhã de segunda-feira no Palácio Guanabara, com representantes do MP e Defensoria, além do governo do estado, para “unirmos forças contra qualquer possível ato antidemocrático no Rio de Janeiro”, postou na rede social.


Ato a favor da democracia

Em diversos lugares do país, milhares de pessoas se reuniram no fim do dia para realizar atos a favor da democracia. Em Cabo Frio também foram convocados atos e nas grandes capitais, como Rio e São Paulo, as manifestações antifascismo ocorrem em clima de ordem e paz. Com gritos, “Sem Anistia”, as manifestações devem seguir até tarde.


As reformas milionárias de São Pedro da Aldeia

O prefeito de São Pedro da Aldeia, Fábio do Pastel, anunciou nas últimas semanas a retomada da obra de uma creche no bairro Rua do Fogo, parada, segundo ele, há quatro anos e a reforma do colégio Pequia, no mesmo bairro, porém os valores dessas obras têm gerado um certo burburinho na Praça do Canhão, por conta das cifras milionárias.

Segundo consta no portal da transparência do município, a finalização da obra da creche ficou no valor de 2,8 milhões de reais. Já na reforma e ampliação do colégio serão gastos 3,1 milhões.

“É construção de uma nova escola ou reforma?”, comentou um analista da política aldeense. Por sorte, encontramos nesta segunda-feira com o secretário de Obras e Urbanismo Aldeense, Fernando Frauches, que explicou ao editor do Direto da Fonte o valor alto no custo da obra. Segundo ele, “o povo estava acostumado com reformas pequenas, mas estamos praticamente reconstruindo a escola”.

Então, já que o secretário pontuou que é quase uma reconstrução, vamos aguardar os próximos capítulos.


Posse da secretária de Turismo de Cabo Frio na quarta-feira

Conforme o Direto da Fonte antecipou, a nova secretária de Turismo de Cabo Frio toma possa esta semana, na quarta-feira, às 10h. Indicada por Miguel Alencar, presidente da Câmara, como o próprio prefeito informou, Paula assume com o desafio de ser a comandante da pasta na alta temporada. Aliás, os rumores são grandes que a secretaria Adjunta de Esportes também terá mudanças com a chegada da nova titular do Turismo. Segundo informações obtidas pela coluna, o ex-jogador Gabriel Lima, que atualmente é assessor na Câmara, assumiria o posto no lugar de Felipe Monteiro.

O prefeito José Bonifácio não confirmou nem descartou a informação. Ele apenas disse que é normal que o novo secretário possa querer escolher os adjuntos e que na quarta-feira após a posse de Paula Pinheiro vai se reunir para saber se ela tem interesse em nomear o novo ajunto de Esportes.


Fenaj repudia

A Federação Nacional dos Jornalistas, FENAJ, e Sindicatos de Jornalismo do país todo repudiaram os atos terroristas e se solidarizaram com os jornalistas agredidos. Uma das vítimas foi uma repórter que foi espancada covardemente por 10 homens. Segue parte da nota da Fenaj:

“A Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) e os 31 Sindicatos de Jornalistas filiados repudiam de forma veemente a invasão aos prédios públicos e os ataques à democracia brasileira. O evento acontece uma semana depois de o país assistir a uma linda, diversa e inclusiva festa cívica, na posse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A FENAJ e os sindicatos filiados denunciam firmemente esse agrupamento que insiste em desafiar a Constituição, mantendo acampamentos em frente a quartéis do Exército, promovendo ações terrorista em Brasília e pedindo intervenção militar.

É inadmissível a omissão do governo do Distrito Federal, bem como a leniência de parte das Forças Armadas, da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal diante da escalada anticonstitucional do bolsonarismo. Em qualquer país moderno e democrático, atitudes como as que temos visto no Brasil seriam severamente reprimidas e punidas, em defesa do bem maior e coletivo.

Os jornalistas brasileiros, no exercício de seu trabalho profissional, têm sido vítimas de intimidações e agressões por membros e apoiadores desse grupo político violento e antidemocrático. São centenas os casos registrados nos últimos anos, quase uma dezena apenas na primeira semana desse ano.

Exigimos apuração e rigorosa punição dos responsáveis por este grave atentado à democracia brasileira, incluindo financiadores e realizadores. Alertamos, ainda, para a necessidade de as forças de segurança combaterem o cerceamento ao trabalho dos jornalistas, vítimas recorrentes da onda de violência das hordas bolsonaristas.

Solidarizamo-nos com as equipes de imprensa agredidas e colocamos as estruturas sindicais à disposição da categoria”.


Nota dos Editores: A coluna Direto da Fonte é a favor da Democracia e repudia veementemente os atos golpistas ocorridos em qualquer lugar do Brasil.

Facebook
Telegram
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email