fbpx

Direto da Fonte | A política da Região dos Lagos nesta segunda-feira (27/11)

O diagnóstico da eleição para o Conselho Tutelar em São Pedro da Aldeia; enquanto Cabo Frio comemora arrecadação de royalties, paira clima de apreensão nas terras aldeenses; Iguaba, Saquarema, Búzios e São Pedro presentes em reunião com a Enel; Arraial do Cabo no audiovisual

Faltou força de mobilização?

As eleições para o Conselho Tutelar em São Pedro da Aldeia – adiadas para o último domingo (26) por suspeita de fraude – jogaram um balde de água fria na gestão de Fábio do Pastel (PL). É que o candidato Bira – apoiado por boa parte do secretariado – teve 260 votos e ficou em 6º lugar no páreo, fora do grupo de cinco conselheiros eleitos. Denise Barreto, com 484 votos, acabou liderando a disputa, seguida por Arthur Reis (399); Márcia Amaral (372); Juliete (293); e Vitor Chaves (271). Pelo que a turma comenta na Praça do Canhão, a situação pode ser sinal de um fraco poder de mobilização da Prefeitura aldeense. O que, em política, não é bom sinal.


Em meio a crise de conselhos, mais um para a conta

Se tem uma coisa que dá o que falar na São Pedro da Aldeia de Fábio do Pastel é o imbróglio interminável com os conselhos. A Prefeitura teve sérios problemas com o de Saúde e vive uma novela interminável com o de Cultura. Mas não conseguir botar um representante no Conselho Tutelar pode ser até um pouco politicamente mais grave. Isso porque essa eleição é lida como um verdadeiro termômetro para o pleito da vereança que será realizado no próximo ano. Conselheiros tutelares com larga votação são vistos como potentes cabos eleitorais, o que justifica ser uma vaga tão visada por entidades políticas e lideranças religiosas, por exemplo. Que situação para o governo aldeense, hein?


Preocupação com recursos dos royalties

No mês de novembro, o município de São Pedro da Aldeia recebeu, até agora, R$ 2.236.063,33 de recursos dos royalties de petróleo. Para efeito de comparação, no mesmo período do ano passado, a Prefeitura havia recebido R$ 8.016.729,25. A situação, de acordo com os analistas da Praça do Canhão, é preocupante. O que dizem por lá é que a as contas não fecham. Mas não só por causa da queda de arrecadação dos royalties e, sim, pelo excesso de obras lançadas. Tem fornecedor por aí que estaria sem receber há cerca de quatro meses da Prefeitura e as ameaças de paralisação de obras é real. Tempo fechado por lá, viu? A turma está de olho.


Queda em uma, recorde na outra

Já a Prefeitura de Cabo Frio vive um outro momento na arrecadação dos royalties. Em setembro, o município recebeu cerca de R$ 30,5 milhões. Já em outubro, foram quase R$ 33,7 milhões. Enquanto, em novembro, o valor já chega a R$ 28,5 milhões.


Apoio à pré-candidatura

O ex-vereador de Cabo Frio Rafael Peçanha (PT) continua dando indícios de que está no jogo em plena pré-campanha para a Prefeitura cabo-friense no ano que vem. Na sexta-feira (24), Rafael recebeu o apoio público do deputado federal Lindbergh Farias (PT). “Reunimos diretórios do PT de várias cidades da região, lideranças de bairros e movimentos sociais do nosso município, bem como representantes de partidos progressistas com os quais tenho dialogado, para ouvir uma palavra de esperança e luta pelo Brasil. Minha gratidão a todos e todas que participaram de mais esse importante passo”, declarou Peçanha.


Ocupação de imóvel em Cabo Frio

Um grupo de ativistas do Movimento de Mulheres Olga Benário ocupou, sem autorização, um imóvel no terreno ao lado da Casa do Bicentenário, no Centro de Cabo Frio, para criar uma “Casa de Referência da Mulher”. Apesar disso, a Prefeitura informou ao Portal Fontecerta.com que há tratativas para cessão do espaço. A ocupação começou na madrugada de sábado (25) e se estende com serviços de manutenção do imóvel, como limpeza e roçada. De acordo com as ativistas, “o imóvel estava vazio há anos sem cumprir função social” e passará a funcionar “como uma casa de referência para atender, acolher e organizar mulheres em situação de vulnerabilidade e vítimas de violência”. A organização pontuou uma “falta de políticas públicas para lidar com os problemas enfrentados na Região dos Lagos, que é a segunda região que mais violenta mulheres no estado do Rio”.


Encontro com a Enel

Na cidade de Niterói, a empresa Enel se reuniu com representantes de sua área de concessão no setor de fornecimento de energia. Os prefeitos Vantoil Martins (CID), de Iguaba Grande; Alexandre Martins (REP), de Búzios; e Manoela Peres (PL), de Saquarema, estiveram entre os presentes na reunião, nesta segunda-feira (27). Os chefes do Executivo manifestaram preocupação com a prestação dos serviços da concessionária, sobretudo, por conta da proximidade da alta temporada, quando a população das cidades, facilmente, chega a ficar 10x maior em casos como o de Búzios e Arraial do Cabo. À coluna, Alexandre Martins explicou que o grupo “vai entrar com Ação Civil Pública”. “[Estamos] programando reunião na Alerj e com o ministro de Minas e Energia, discutindo o que pode melhorar. A gente detectou que o problema é igual em todos os lugares. O lucro da Enel é grande. Não tem porquê estar tendo toda essa dificuldade em todos os municípios de queda de energia e falta de manutenção da rede”, afirmou o prefeito buziano.


Presenças e ausências

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia enviou ao encontro o secretário de Obras e Desenvolvimento Urbano, Fernando Frauches, que assinou o termo que cobra medidas emergenciais à concessionária. O secretário-adjunto de Governo, Marcio Ely Campos Vianna, também esteve presente no evento. O deputado federal e membro da Comissão de Minas e Energia Max Lemos (PDT) participou do momento e destacou que já existem pedidos de CPI contra a empresa e que o objetivo do encontro desta segunda-feira foi iniciar um consenso entre as prefeituras. O deputado estadual, Thiago Rangel (PODE) também acompanhou o diálogo entre os municípios. A concessão com a Enel é válida até 2026. Em tempo, a Prefeitura de Cabo Frio informou que não enviou representantes para a reunião. As prefeituras de Arraial do Cabo e de Araruama não responderam se enviaram alguém. Será que não teve falta de luz por lá para que eles se mobilizassem para pedir por melhoria dos serviços? Fica a reflexão.


Arraial no audiovisual

O diretor de Eventos da Prefeitura de Arraial do Cabo, Max Magalhães, comentou à coluna sobre o resultado de um Encontro Audiovisual que o município recebeu no sábado (25). Max relatou que operadores do audiovisual, diretores, cineastas, produtores, autores e atrizes estiveram presentes em um “encontro muito, muito produtivo”. Para 2024, o município terá, por exemplo, um festival de cinema. “O objetivo é, justamente, colocar Arraial do Cabo como locação nas grandes produções dos streamings, do cinema, o pessoal ficou muito motivado com Arraial. Esse cenário natural que a gente tem os inspirou bastante aqui”, declarou Max. O diretor levou o grupo para fazer um passeio de barco e de jardineira, além de passar com eles pelos distritos. “O prefeito Marcelo Magno (PL) está abraçando muito esse projeto, ele aposta muito na cultura local. Com certeza, Arraial vai colher bons frutos após esse encontro”, finalizou Magalhães.


Retorno da secretaria Estadual de Segurança Pública

Por meio das redes sociais, o governador Cláudio Castro (PL) anunciou, nesta segunda-feira (27), a recriação da secretaria Estadual de Segurança Pública. Segundo o chefe do Executivo, a ação serve para “fortalecer as ações de segurança das nossas polícias”. “Como uma das primeiras ações da pasta, determinei ao novo secretário, Victor César dos Santos, a criação de um plano de segurança que integre ainda mais as nossas forças. Também vamos investir em uma corregedoria unificada para trazer ainda mais rigor às investigações”, declarou o governador. A falta da pasta – que tinha sido desmembrada pelo ex-governador Wilson Witzel entre as secretarias de Polícia Militar e Polícia Civil – era apontada por diversos especialistas como um fator crucial para a falta de ações integradas e de inteligência no Estado.

Facebook
Telegram
Twitter
WhatsApp