Início Araruama CPI para apurar queda de repasse na arrecadação dos royalties poderá será...

CPI para apurar queda de repasse na arrecadação dos royalties poderá será instalada na Alerj

Apenas em janeiro e fevereiro deste ano, a perda de receitas chegou a R$ 800 milhões

-

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) vota, em discussão única, nesta terça-feira (09), o projeto de resolução 518/21, que cria a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) destinada a investigar a queda de 40% na arrecadação do Estado do Rio de Janeiro referente às receitas compensatórias da exploração de Petróleo e Gás. Caso a resolução seja aprovada, a composição do grupo será publicada no Diário Oficial do Legislativo.

Apenas em janeiro e fevereiro deste ano, a perda de receitas chegou a R$ 800 milhões, dois terços em relação à expectativa de royalties de petróleo.

“A Alerj, em sua função típica de órgão fiscalizador do Executivo, tem o dever de acompanhar e investigar as arrecadações, bem como suas respectivas destinações. Em se tratando de um estado em Recuperação Fiscal que enfrenta grave crise econômica em decorrência também da pandemia, é ainda mais importante que o Legislativo cumpra seu papel fiscalizador”, afirmou o presidente da Casa, deputado André Ceciliano (PT).

Após ser votada em plenário a criação da comissão, os líderes dos partidos vão indicar os sete integrantes do colegiado. Há sugestão do presidente para que o deputado Luiz Paulo (Cidadania) assuma a presidência da CPI e que a relatoria seja do líder do governo, deputado Márcio Pacheco (PSC).

“Mesmo que as concessionárias estejam sob fiscalização da ANP, nós queremos fiscalizar os abatimentos que são realizados para o cálculo final da participação especial. Não há nenhum evento plausível que explique essa queda da arrecadação. O dólar aumentou, a produção se manteve estável e o preço do barril não variou tanto”, esclarece Luiz Paulo.

Entenda as participações especiais

Os royalties são uma compensação financeira paga mensalmente à União pelas concessionárias de exploração e produção de petróleo e gás natural, como forma de compensar a utilização e exploração destes recursos naturais não renováveis e escassos. Já a participação especial é a compensação financeira extraordinária devida pelas empresas que exploram campos com grande volume de produção e/ou grande rentabilidade. Após a apuração, a participação especial é distribuída trimestralmente aos entes beneficiários, na proporção de 50% para a União, 40% para os estados produtores e 10% para os municípios produtores.

- Advertisment -

Mais lidas

pendik escort kartal escort çekmeköy escort mersin escort türkçe altyazılı porno lezbiyen porno sex hikaye mersin escort bodrum escort