Defesa Civil Estadual visita Barragem de Juturnaíba e sede da Prolagos

Equipe responsável pela fiscalização ambiental e das barragens no Estado do Rio visitou unidade responsável pelo abastecimento dos municípios da Região dos Lagos

0
96

Com o objetivo de monitorar as condições da barragem de Juturnaíba, localizada entre os municípios de Silva Jardim e Araruama, uma equipe da Coordenação Especial de Ações do Meio Ambiente (Ceama), órgão que trata das ações de meio ambiente e fiscalização das barragens da Secretaria Estadual de Defesa Civil, realizou uma visita técnica nas instalações da Prolagos, em São Pedro da Aldeia, e, também, na represa responsável pelo abastecimento de todos os municípios da Região dos Lagos. No encontro também foi iniciado o alinhamento para a implementação do Plano de Atendimento a Emergências (PAE), que faz parte do Plano de Segurança de Barragem.

A represa é formada pelos rios São João, Capivari e Bacaxá, resultando no maior reservatório de água doce destinado ao abastecimento humano no estado do Rio de Janeiro e recebe investimentos das duas concessionárias que operam na região. Recentemente, para aumentar a segurança operacional foram instaladas mais de 60 câmeras, divididas entre a Estação de Tratamento de Água e a Barragem, que podem ser acessadas pelo Centro de Controle Operacional da Prolagos. Alguns dos equipamentos contam com a tecnologia speed dome, dispositivo de alta performance que capta e processa imagens de alta qualidade, sendo possível controlar remotamente a direção e aproximação da imagem, tornando ainda mais eficiente o monitoramento das unidades. Para ampliar a comunicação com a unidade que fica em área rural, as empresas também instalaram internet por satélite e amplificador de telefone.

Os investimentos foram exaltados pelos especialistas: “Foi possível percebermos que a empresa está bem estruturada, preparada e muito bem monitorada. Com a visita conseguimos integrar a Secretaria de Estado da Defesa Civil, juntamente com os quarteis de operação da área e a Prolagos, para que todos possamos atender a população local da melhor forma possível, em qualquer evento adverso”, pontua o coordenador da Ceama, Tenente-Coronel BM José Marcio Neves.

Seguindo o Manual de Procedimentos para Operação de Barragem aprovado pelo Comitê de Bacias Hidrográficas Lagos São João, a Prolagos é responsável pela operação do local. Para atestar a eficiência do trabalho, a empresa também conta com a análise de consultorias especializadas para realizar estudos técnicos para avaliar as condições da unidade e quais os impactos no caso de um rompimento.

“O estudo apontou que em caso de ruptura não haveria impacto na população que está a jusante da barragem, não trazendo risco de morte humana, o impacto maior seria nas áreas de preservação que ali existem”, explica Gabriela Vitorino, coordenadora de Operações da Prolagos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here