Início Destaque Defesa Civil interdita apartamentos do Minha Casa Minha Vida no bairro Poço...

Defesa Civil interdita apartamentos do Minha Casa Minha Vida no bairro Poço Fundo

Feita de forma preventiva, a medida foi tomada devido a uma instabilidade na fundação de três blocos

-

A Defesa Civil de São Pedro da Aldeia interditou três blocos (01, 02 e 03) do empreendimento Pontal da Lagoa, do Programa Federal Minha Casa Minha Vida, no bairro Poço Fundo. Feita de forma preventiva, a medida foi tomada devido a uma instabilidade na fundação dos blocos. Ao todo, foram interditados 48 apartamentos. A Prefeitura da cidade está prestando todo o apoio aos moradores a fim de minimizar os transtornos.

Neste domingo (19), foi realizada uma reunião geral entre os moradores afetados pela medida e representantes da Defesa Civil e da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos para orientações. Na ocasião, foram esclarecidas dúvidas sobre o aluguel social que será pago pela Caixa Econômica Federal, no valor de R$800, a mudança e o reembolso, além do processo de abertura de uma conta na CEF. Também foram recolhidas as assinaturas de 39 autos de interdição; quem ainda não assinou o documento deve procurar a sede da Defesa Civil nesta segunda-feira (20).

O diretor da Defesa Civil aldeense, Marcus Dothavio, falou sobre a importância do trabalho de prevenção realizado no local. “Nós estamos acompanhando várias notícias de desabamento de edificações no Rio de Janeiro e, aqui, estamos fazendo um trabalho preventivo, onde se preserva a vida do morador, mas também se preocupa com o bem-estar de cada um. As famílias terão um prazo de 15 dias após o recebimento do Aluguel Social para deixarem os apartamentos”, explicou.

Em fevereiro deste ano, a Defesa Civil interditou os blocos 04, 05 e 06 do mesmo empreendimento. O responsável financeiro pela construção do MCMV – Pontal da Lagoa, incluindo a contratação da empresa e a fiscalização das obras, e pela realização de todas as intervenções que forem necessárias é a Caixa Econômica Federal. De acordo com a CEF, o Aluguel Social será pago até a finalização das obras e o retorno das famílias para os apartamentos.

“Após a interdição dos blocos 04, 05 e 06, a Defesa Civil solicitou que a Caixa Econômica fizesse uma vistoria no solo dos outros blocos, o 01, 02 e 03, e foi constatada essa necessidade de retirada para realizar as obras necessárias”, completou Marcus Dothavio.

O prazo para a realização da obra e o retorno dos moradores será dado pela Caixa Econômica Federal.

- Advertisment -

Mais lidas

'Pedal Outubro Rosa' acontece nesta quinta em Cabo Frio

‘Pedal Outubro Rosa’ acontece nesta quinta em Cabo Frio

Evento tem objetivo de somar com a campanha contra o câncer e de conscientizar sobre a importância da bicicleta