Início Araruama Governador do Rio propõe trabalho conjunto entre PF e Polícia Civil

Governador do Rio propõe trabalho conjunto entre PF e Polícia Civil

Decisão aconteceu nesta terça-feira (10) durante posse do novo superintendente da Polícia Federal

-

Ao participar da posse do novo superintendente da Polícia Federal no Rio, delegado Carlos Henrique Oliveira de Souza, nesta terça-feira (10), o governador Wilson Witzel colocou a estrutura da Secretaria de Polícia Civil à disposição do órgão e destacou o trabalho em conjunto que as duas polícias podem desenvolver no combate ao crime organizado no estado.

 

“Quero colocar à disposição da Polícia Federal a nossa Polícia Civil. Nós a encontramos de forma sucateada, com menos da metade do efetivo que deveria ter. Estamos de portas abertas porque conseguimos, sem aumento de efetivo, elevar a capacidade operacional da secretaria. Temos um departamento de combate à lavagem de dinheiro e ao crime organizado que é o maior do Brasil e, até janeiro deste ano, não havia um inquérito apurando lavagem de dinheiro e tráfico de armas. Nós temos hoje, aproximadamente, 70 investigações” disse Witzel, que estava acompanhado do vice-governador, Cláudio Castro.

 

Durante o discurso, o governador lembrou a decisão de tornar as polícias Militar e Civil em secretarias de estado, o que permitiu que ambas tivessem mais independência para conduzir as respectivas investigações.

 

“Demos à Polícia Civil a independência necessária para que possa atuar de forma totalmente despolitizada. Da mesma forma foi com a secretaria de Polícia Militar. Todos os comandantes de batalhões foram escolhidos pelo comando do Estado Maior da PM. O resultado deste trabalho é que temos quase 900 vítimas de homicídio a menos desde o início do ano. O número ainda é alto, mas é o menor dos números de homicídios da série histórica desde 1991”, reafirmou o governador.

 

O delegado Carlos Henrique, que substitui o delegado Ricardo Saadi no comando da PF no Rio, era superintendente da Polícia Federal em Pernambuco e já teve passagens por delegacias especializadas da Polícia Civil.

 

“Enfatizo a necessidade do intercâmbio das polícias. Sem a proximidade da Polícia Federal com a Polícia Civil do Rio de Janeiro nós ficamos com um ponto cego porque as apreensões de drogas e armas acabam resultando em meros processos de porte indevido do uso de arma de fogo e não se chega aos verdadeiros mercadores dos cartéis que inundam o Brasil de armamentos, um exemplo do trabalho conjunto entre o Estado e a Polícia Rodoviária Federal (PFR). A instituição é uma grande parceira das polícias Militar e Civil, na atuação e no combate nas estradas federais do Rio de Janeiro, por onde entram drogas e armas em quantidade assustadora”, finalizou Witzel.

- Advertisment -

Mais lidas


fethiye bayan escort yalova escort yalova escort bayan van escort van escort bayan uşak escort uşak escort bayan trabzon escort trabzon escort bayan tekirdağ escort tekirdağ escort bayan şırnak escort şırnak escort bayan sinop escort sinop escort bayan siirt escort siirt escort bayan şanlıurfa escort şanlıurfa escort bayan samsun escort samsun escort bayan sakarya escort sakarya escort bayan ordu escort ordu escort bayan niğde escort niğde escort bayan nevşehir escort nevşehir escort bayan muş escort muş escort bayan mersin escort mersin escort bayan mardin escort mardin escort bayan maraş escort maraş escort bayan kocaeli escort kocaeli escort bayan kırşehir escort kırşehir escort bayan www.escortperl.com