As publicações são em formato inclusivo e contam com versões multiformato (braile, libras, audiodescrição e pictograma), além de conteúdos pedagógicos

A educação inclusiva ganhou um reforço nas unidades escolares da rede pública de Cabo Frio, durante o mês de agosto. O Programa Coletânea Literatura Acessível, ofereceu às escolas kits de livros inclusivos com versões multiformato (braile, libras, audiodescrição e pictograma), além de conteúdos pedagógicos.

O projeto é patrocinado pelo Instituto CCR, parceiro da Secretaria de Educação no Programa “Caminhos para a Cidadania”. O objetivo é promover ações lúdicas com o intuito de sensibilizar a comunidade escolar sobre a inclusão e a acessibilidade.

Os livros contam as histórias de personagens que apresentam deficiências e que auxiliam no desenvolvimento de ações pedagógicas de inclusão. São eles: “A Menina Que Perdeu a Perna”; “O Menino Que Escrevia com os Pés”; “A Princesa Que Tinha Um Cromossomo A Mais”; e “O Menino que Tinha uma História para Contar”. As publicações foram encaminhadas às escolas de duas formas, em arquivo digital e impresso.

As escolas que atendem a Educação Infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental receberam as publicações em formato digital, no formato de PDF, contendo cinco arquivos dos quatro ebooks citados e mais um, o novo livro do projeto, “Ico e o Mundo que Queremos Construir”. Além de atividades educativas impressas com os personagens para colorir, video-contações e demais conteúdos pedagógicos.

Os kits com material impresso foram encaminhados para os três Centros de Apoio Pedagógico, para as duas escolas especiais e para 22 salas de recursos. Especificamente as Escolas Achilles Barreto, Edilson Duarte, José Bonifácio e São Cristóvão receberão o kit em braille.

Segundo a Coordenadoria de Formação Continuada, entre as muitas propostas, os profissionais poderão trabalhar o diálogo acerca da inclusão e da superação visando a quebra de paradigmas e preconceitos. Além de debater sobre diferentes perspectivas e construir uma sociedade mais inclusiva e igualitária baseando-se nos títulos do projeto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *