Levantamento do Sebrae Rio indica que, no primeiro semestre, as micro e pequenas empresas do Rio de Janeiro foram responsáveis pela geração de 55% dos empregos com carteira assinada no estado. No total foram mais de 40 mil ocupações criadas entre os meses de janeiro e junho deste ano. Esses números apontam que o Rio de Janeiro foi o quarto Estado onde as micro e pequenas empresas mais criaram vagas, ficando atrás de São Paulo (182,9 mil), Minas Gerais (84,5 mil) e Paraná (51,9 mil). As médias e grandes empresas foram responsáveis pelas outras 45% das oportunidades criadas no estado.

“As micro e pequenas empresas continuam mantendo a regularidade na geração de empregos, contribuindo para o bom dinamismo no mercado de trabalho. Pelo quinto mês consecutivo, os pequenos negócios apresentam saldo positivo na criação de empregos formais. Esses números reforçam a importância dos pequenos negócios à economia fluminense”, analisa Antonio Alvarenga, diretor-superintendente do Sebrae Rio.

O setor de serviços gerou 74% do total de vagas, com destaque para restaurantes, serviços de engenharia e ensino fundamental como os principais negócios empregadores. Já a construção com 22% foi a segunda atividade com maior criação de empregos, com ênfase em construção de edifícios e obras de engenharia civil. 

Os pequenos negócios do Rio de Janeiro capital criaram mais de 19 mil vagas. Esse número alçou a capital como como a primeira do estado e a segunda no ranking nacional na geração de empregos formais. Campos dos Goytacazes (2,1 mil), Duque de Caxias (2,1 mil), Niterói (2,1 mil), São Gonçalo (1,5 mil) e Macaé (1,4 mil) também tiveram impacto positivo nos números no estado. Juntas, as seis cidades foram responsáveis por 70% das oportunidades criadas pelas micro e pequenas empresas nos primeiros seis meses do ano.