O prefeito de São Pedro da Aldeia, Fábio do Pastel, está sendo criticado por representantes de religiões de Matriz Africana pelo discurso feito durante a Sessão Solene na Câmara de Vereadores, na última segunda-feira (15), em comemoração aos 406 anos de fundação do município. Ao ocupar a tribuna, ele expressou o desejo de que todos os eventos da cidade fossem ligados ao segmento gospel.

“Tenho enfatizado que faremos ainda mais eventos evangélicos nesta cidade. Dizem que São Pedro é 60% a 70% gospel, e eu gostaria que todos os eventos fossem do gênero gospel”, afirmou Fábio do Pastel.

A assessora da Comissão de Combate às Discriminações da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ) criticou a fala. Segundo ela, “a Constituição Federal garante o direito fundamental à liberdade religiosa, estabelecendo o Brasil como um país laico”.

“Nessa perspectiva, é essencial que os líderes do executivo respeitem todas as religiões e evitem beneficiar qualquer uma delas. Portanto, a declaração do prefeito Fábio do Pastel corrobora o desrespeito e o racismo religioso com os quais lutamos diariamente para combater”, disse ao Fonte Certa.

A Mãe de Santo Elis de Oxum considerou o discurso “vergonhoso e intolerante”.

“É lamentável a fala do prefeito Fábio do Pastel durante a solenidade da cidade. Como líder espiritual de uma religião de matriz africana, gostaria de saber onde estão os nossos direitos. Esse discurso é vergonhoso, intolerante e fortalece o racismo religioso contra outras crenças. Vivemos em um Estado Laico. Quando teremos uma representação da nossa religião no palco principal? A liberdade de fé é um direito constitucional”, afirmou Elis, sacerdotisa do Ilé Asé Omin Odó Opara.

Diante das falas de Fábio do Pastel, membros das Casas de Culto de Matrizes Africanas e Povos de Terreiros da Região dos Lagos, juntamente com seus apoiadores, emitiram uma nota de repúdio.

“A intolerância religiosa diária fere o que temos de mais sagrado. Atitudes intolerantes, que são reforçadas e estimuladas por alguém que deveria ser um exemplo de respeito às leis vigentes, causam um impacto negativo ainda maior em nossas vidas e podem ser responsáveis pelo atraso na implementação de políticas públicas voltadas para esse segmento, atualmente estagnadas no município, tanto no Poder Executivo como no Legislativo. O Estado é laico, e nossas vozes também precisam ser ouvidas. Somos cidadãos, somos muitos e exigimos respeito”, destaca trecho da nota.

Além disso, os membros das Casas de Culto de Matrizes Africanas e Povos de Terreiros afirmam que Fábio do Pastel pode ter cometido crimes de disseminação de ódio religioso e uso indevido de recursos públicos, ao privilegiar uma única religião nas comemorações do aniversário da cidade. No dia 14, ocorreram apresentações de artistas ligados a igrejas evangélicas no palco principal, montado no centro da cidade.

A presidente do Coletivo Axé em Luta, Ariane Magalhães, também emitiu uma nota condenando as palavras de Fábio do Pastel. O grupo foi estabelecido em maio do ano passado, em Itaboraí, após um discurso considerado preconceituoso do pastor Felippe Valadão durante as festividades do aniversário da cidade.

“Nosso coletivo exige uma resposta diante das declarações do prefeito, assim como seu compromisso em defender a laicidade e promover a liberdade religiosa, incluindo todas as religiões existentes em São Pedro da Aldeia, mesmo que elas representem uma minoria, como ele mesmo afirmou. É crucial haver respeito pelas outras religiões e que não exista favorecimento explícito a uma específica, principalmente vindo do poder executivo da cidade”, declarou Ariane.

Representantes de religiões africanas denunciam preconceito do prefeito de São Pedro da Aldeia

Author: Luciano Motta

Jornalista amante da profissão é louco pela Região dos Lagos e suas belezas. Que escolheu escrever tudo que acontece e manter as pessoas informadas com a maior apuração dos fatos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *