Início Destaque Obras do Museu do Sal seguem abandonadas em São Pedro da Aldeia

Obras do Museu do Sal seguem abandonadas em São Pedro da Aldeia

Ainda não há previsão para que as intervenções no local sejam reiniciadas. Prefeitura afirma que processos burocráticos com a Caixa Econômica Federal impedem o andamento das obras

-

As obras do 1º Museu de Sal do país, construído em São Pedro da Aldeia, seguem abandonadas. A construção teve início em maio de 2015 e a previsão do término já está vencida há mais de dois anos, segundo a placa informativa instalada no local. A obra foi orçada em R$ 1.135.990,09, com repasse de R$ 975.000,00 pelo governo federal. Segundo a Prefeitura, ainda não há previsão para que as intervenções sejam reiniciadas.

Em novembro de 2017, a Prefeitura informou ao Portal Fonte Certa que a empresa que ganhou a licitação e iniciou a construção desistiu da obra. Ainda de acordo com a Prefeitura, devido à desistência da empresa, o contrato para a construção do Museu do Sal foi reincidido. O contrato entrou em reprogramação junto à Caixa Econômica Federal (CEF) e o município tinha até o dia 1º de dezembro para encaminhar os documentos de exigências da Caixa Econômica. Após esse envio, a CEF tem trinta dias para aprovar ou relatar novas exigências. Havendo a aprovação, o processo licitatório, para a escolha da nova empresa, iria ser iniciado em janeiro de 2018.

Nesta terça-feira (20) a Prefeitura informou que o contrato de repasse ainda está sendo analisado pelos técnicos da Caixa Econômica Federal. Enquanto não for aprovado e autorizado pela instituição mandatária, o município não poderá iniciar os procedimentos licitatórios para a contratação de nova empresa para a conclusão da obra do Museu do Sal. Um encontro está agendado para a segunda-feira (26) na sede da Caixa, em Niterói, para a conclusão da reprogramação. A prefeitura informou também que não há como afirmar com precisão a data para que estas ações aconteçam.

Obra foi orçada em R$ 1.135.990,09, com repasse de R$ 975.000,00. Foram gastos apenas R$346.834,13 no projeto, afirma Prefeitura
Obra foi orçada em R$ 1.135.990,09, com repasse de R$ 975.000,00. Foram gastos apenas R$346.834,13 no projeto, afirma Prefeitura. Foto: Fonte Certa

O museu foi programado para ser um espaço de resgate ao patrimônio material e imaterial relativo ao trabalho nas salinas, principal atividade econômica na Região dos Lagos na década de 50.

O projeto previa a reconstrução de um casarão com duas salas de exposição, sala de administração e manutenção de acervo, copa de apoio, recepção e loja, além de cafeteria, banheiros com acessibilidade, área de lazer com bicicletários, bancos, deck de madeira e moinho, entre outros. A construção ainda iria contar com um piso para garantir a acessibilidade e uso sustentável do espaço, com captação de água da chuva e uso de energia eólica para abastecer a casa e a praça de entrada através de moinhos.

Cultura do sal
A cultura do sal teve início na região ainda no período do Império. Desde a produção artesanal até o boom industrial, por volta da década de 1920, Cabo Frio, São Pedro da Aldeia e Araruama, construíram 109 salinas. No entanto, com a desvalorização do sal, a atividade deixou de ser lucrativa e quase a totalidade das salinas fechou as portas.

 

- Advertisment -

Mais lidas

'Pedal Outubro Rosa' acontece nesta quinta em Cabo Frio

‘Pedal Outubro Rosa’ acontece nesta quinta em Cabo Frio

Evento tem objetivo de somar com a campanha contra o câncer e de conscientizar sobre a importância da bicicleta