windows 10 pro office 2019 pro office 365 pro windows 10 home windows 10 enterprise office 2019 home and business office 2016 pro windows 10 education visio 2019 microsoft project 2019 microsoft project 2016 visio professional 2016 windows server 2012 windows server 2016 windows server 2019 Betriebssysteme office software windows server https://softhier.com/ instagram takipçi instagram beğeni instagram görüntüleme instagram otomatik beğeni facebook beğeni facebook sayfa beğenisi facebook takipçi twitter takipçi twitter beğeni twitter retweet youtube izlenme youtube abone instagram

Início Destaque Procon e ANP fiscalizam prática de preços abusivos em postos de São...

Procon e ANP fiscalizam prática de preços abusivos em postos de São Pedro da Aldeia

Ação conjunta foi originada após denúncias

-

O Procon São Pedro da Aldeia e a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) realizaram, nessa terça-feira (16), uma ação conjunta para vistoriar postos de combustíveis do município alvos de denúncias. O objetivo foi verificar a prática de preços abusivos, já que a recorrente variação nos custos dos produtos pode facilitar a venda por valores não correspondentes. Não foram encontradas irregularidades quanto aos preços praticados nos dois postos denunciados.

Durante a operação, a nota fiscal de compra das mercadorias foi analisada, assim como os cupons de saída e os valores exibidos nas bombas. A prática abusiva é constatada quando o estabelecimento compra o produto por um custo inferior, estoca, e repassa ao consumidor já com o valor correspondente ao aumento das refinarias, mesmo que o tenha adquirido pelo preço antigo.

O coordenador do Procon Aldeense, Marcio Lisboa, explicou como o cálculo é feito.

“Na operação de hoje, comparamos as notas fiscais de entrada com o valor dos combustíveis que já estavam nas bombas. Verificamos que o preço final dos produtos estava em torno de 18% ou 19% acima do seu custo de produção e distribuição, o que é considerado aceitável”, afirmou.

Foram aplicados autos de infração em duas lojas de conveniência por não possuírem toda a documentação necessária para o exercício da atividade comercial e por venderem produtos fora da data de validade e sem especificações. Os estabelecimentos advertidos têm o prazo de 15 dias para responderem ao processo administrativo e se adequarem às diretrizes.

Rate this post
- Advertisment -

Mais lidas

Rate this post
%d blogueiros gostam disto: