Universidade Veiga de Almeida ganha destaque criativo com projetos sustentáveis na primeira Feira Maker, em Cabo Frio

Estudantes e professores de vários cursos apresentaram projetos para a comunidade acadêmica e visitante

0
188
Estudantes e professores de vários cursos apresentaram projetos para a comunidade acadêmica e visitante. Foto: Divulgação/ Internet

A primeira Feira Maker em Cabo Frio, na Universidade Veiga de Almeida (UVA), incentivou os alunos a produzirem projetos criativos com foco nos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), propostas pela ONU para 2030.

A organizadora do evento, Viviane Japiassú, explica que a finalidade da feira é dar visibilidade aos estudantes e aos trabalhos.

“O objetivo da Feira Maker é compartilhar os resultados que os alunos desenvolveram ao longo de uma disciplina maker, com base nas 17 ODS, para compartilhar com a comunidade acadêmica do campus”, explica Viviane.

As apresentações aconteceram na praça de alimentação da UVA, nessa segunda-feira (04), pelos estudantes de engenharia civil, jornalismo, pedagogia e fisioterapia, que criaram soluções inovadoras para problemas percebidos em suas respectivas áreas de estudo.

Entre eles, o estudante de engenharia civil do 9º período, Nicoleti Lopes, que notou a dificuldade de locomoção de veículos na ligação entre a Avenida Joaquim Nogueira e a Avenida América Central, em seu projeto busca a construção de uma rotatória que melhoraria o fluxo dos carros e facilitaria a manobra de grandes veículos de carga. Além disso, o projeto visa a proteção do meio ambiente uma vez que quanto mais os veículos param nos semáforos, mais liberam gases poluentes.

“Os carros emitem mais dióxido de carbono no momento da aceleração inicial do que quando estão em velocidade constante”, afirma o estudante, que pretende levar o projeto, orientado pela professora de engenharia Luciana Oliveira, para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

O projeto visa a construção de uma rotatória entre a Avenida América Central e Avenida Joaquim Nogueira

Outro projeto do estudante de fisioterapia Paulo Generson do 7º período busca desenvolver um extensor de dedos para auxiliar no tratamento de pessoas com dificuldades motoras. O estudante teve a ideia após uma consulta com uma paciente da Clínica Escola da UVA que tinha dificuldades em realizar algumas atividades diárias por conta de um AVC.

“A paciente realiza a fisioterapia em casa através do extensor. Com o uso contínuo do equipamento, ela relata ter melhorado o movimento das suas mãos”, conta Paulo Generson, que enfatiza que o material é de baixo custo.

“Foi uma experiência incrível, um momento único por ter a oportunidade de apresentar ao público um projeto pensado diretamente na reabilitação e função dos movimentos”, conta Paulo sobre a experiência de participar da Feira Maker.

Para atiçar a curiosidade dos visitantes, o evento expôs equipamentos de alta tecnologia. “Trouxemos os óculos de realidade virtual para mostrar as possibilidades que e existem através dessa tecnologia, uma impressora 3D do modelo Ender 3 e uma mini CNC, máquinas que fazem gravação a laser”, explica Viviane.

Cada participante da Feira Maker tinha o nome e a ODS do projeto gravado em folhas secas coletadas pelos estudantes da professora e coordenadora do curso de engenharia ambiental Flávia Targa por meio da máquina de registros e cortes.

Em todas as unidades da UVA, tiveram 98 projetos de alunos e professores. Somente em Cabo Frio foram 12 projetos apresentados de forma presencial. No evento virtualizado, tiveram 257 projetos submetidos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here