Programa “Brasil é Nossa Praia” começa a avaliar a Orla de Cabo Frio

Projeto promove oficinas para elaboração dos Planos de Gestão Integrada da Orla, objetivando respeito e incentivo à preservação ambiental

0
90
Projeto promove oficinas para elaboração dos Planos de Gestão Integrada da Orla, objetivando respeito e incentivo à preservação ambiental. Foto: Divulgação/ Internet

Respeito e incentivo à preservação ambiental, com atenção para evitar a sobrecarga dos destinos, são fundamentais para um programa de turismo responsável nas praias. A recomendação foi feita pela turismóloga Stella Souza, mestre em hospitalidade da Universidade do Rio Grande do Norte (UFRN), no primeiro dia das oficinas do Projeto Orla Cabo Frio, que integram o programa “Brasil essa é nossa praia”, do Ministério do Turismo (MTUr). As oficinas, com participação de autoridades municipais, estaduais e federais e da sociedade, vão até sexta-feira no Hotel Malibu.

A orla de Cabo Frio foi dividida em quatro Unidades de Paisagem (UPs): Forte, Peró, Itajuru e Tamoios. No encerramento do primeiro dia das oficinas, os representantes das UPs se reuniram em ambientes separados e passaram para os técnicos da UFRN e facilitadores as potencialidades e os problemas que serão esmiuçados ao longo da semana. A próxima oficina será realizada de 21 a 23 de setembro, e vai culminar com uma audiência pública com previsão para ser realizada no dia 12 de dezembro de 2022.

Parceria entre a UFRN e o MTur, o projeto “Brasil, essa é nossa praia” iniciou a série de oficinas para elaboração dos Planos de Gestão Integrada da Orla (PGIs) em nove municípios participantes, entre os quais Cabo Frio, Angra dos Reis e Paraty, no Estado do Rio. Além do prefeito da cidade, José Bonifácio, participaram da abertura representantes do MTUr, da UFRN, do Serviço de Patrimônio da União, do INEA, secretários municipais e do IPHAN. Nesta quarta-feira está previsto trabalho de campo nas praias.

“Chamou a atenção a areia branca das praias, uma coisa linda, além da hospitalidade e o interesse dos moradores de Cabo Frio na proteção da sua orla. Estão de parabéns” comentou Stella Souza, especialista em administração hoteleira que participou do grupo de discussão do Peró.

Os representantes da UFRN destacaram a importância da participação popular, pois é preciso representatividade para legitimar o processo, com a experiência e relato de pessoas com relação direta ou indireta com as orlas dos municípios. As localidades envolvidas fazem parte do Mapa do Turismo Brasileiro.

“O evento é muito importante para o município de Cabo Frio, pois através dos debates nas oficinas com a sociedade civil, instituições e poder público, conseguiremos elaborar um Plano de Gestão Integrada (PGI) das praias do Peró, Forte, Tamoios e Canal do Itajuru. O PGI será importante para preservação ambiental, ordenamento e o desenvolvimento das praias do nosso município” comentou o professor Fernando Savino, dos Amigos do Peró, ex-superintendente do INEA e ex-secretário de Meio Ambiente e Pesca de Búzios.

Na abertura do evento, o prefeito José Bonifácio destacou a participação da sociedade na conquista da Bandeira Azul, selo internacional de qualidade, para a praia do Peró. Ele falou também da preocupação e conter o avanço do mar na Praia do Forte, no Centro.

“O Peró é a joia rara da Costa do Sol que precisa ser bem cuidada” afirmou a arquiteta Anne Apicelo.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here